segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Diálogo de uma pessoa só.



Presa entre teias do passado, elas não me deixam seguir em frente.
Como se todas as coisas voltassem ao marco zero.
Inútil e sutil mais um dia começa, amarras que não me deixam levantar.
24 horas da mais angústia agonia. 
Manhã, horas pensando no que fazer.
Tarde, chorando pelo tempo desperdiçado.
Noite, com medo de pegar no sono e os pesadelos tomarem conta de mim. 
Quando todos os seus planos chegam ao fim.
Quando você nem se esforçou para realizá-los. 
Você realmente se pergunta porque ainda está aqui.
Não vale a pena.
Não vale o sacrifício.
Não vale nada.
As pessoas não valem nada.
O mundo não vale nada.
Você não vale nada.
Eu não valho nada. 
No fim todo mundo é apenas marionetes. 
Ninguém realmente se importa ou se importou.
Ninguém realmente vive da forma que realmente quer.
São apenas pobres almas perdidas. 
Quando me dei conta, não sei porque não coloquei um fim.
Fim.
Mas o que seria realmente o fim?

- sin sun. 

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

esquizofrenia.



Vozes.
Escuto vozes em minha cabeça.
E antes que eu me esqueça.
Ela voltam para lembrar.

Lembranças de momentos bons.
De quando tudo era mágico.
Lembranças de quando tudo era um sonho.
E que no final se tornou trágico.

Noites mal dormidas.
Acordando no meio da madrugada.
Os pesadelos me consomem.
E sem mais sono choro angustiada.

Lágrimas que caem.
E que a cada gota queimam,
E la no fundo o meu único desejo.
É que fossem doce como um beijo.

Um beijo jamais dado.
Um beijo jamais recebido.
E mesmo tudo que eu tenha vivido.
Eu nunca senti isso no meu passado.

Passado que quero esquecer.
Passado de mentiras.
Eu só queria desaparecer.
Ou acabar com minha vida...

-sin sun.



terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Primeira do Ano (Lamentações).

(sem foto)

O ano começou, e como vem acontecendo não escrevi logo em Janeiro.
Esse ano já começou ruim, mas jamais imaginei que iria estar assim logo no início, por um lado é bom que ai eu não fui enganada por mais tempo.
O casamento acabou.
Isso, acabou.
Aqueles posts bonitos de 2010?
Só ilusão.
Achamos que conhecemos as pessoas que nos relacionamos, mas não, não conhecemos...
A pior decepção da minha vida, o maior erro, a pior pessoa, o mal em forma de gente se chama Anderson, o pai da minha filha, a pessoa que voltou para um passado falido, sem pensar 2 vezes, a pessoa que se importa mais com o filho bastardo dos outros do que com a própria filha, um canalha que não ama ninguém, e não merece ser amado.
Ufa...
Respira...
Sim, ele é tudo isso e mais um pouco!
Eu?
Eu estou tentando, eu estou sendo o que sempre fui afinal, mãe e pai da Ani, ele nunca gostou dela, sempre senti isso, e hoje esta mais claro do que nunca.
Aos poucos estamos nos estabilizando, e ela até já esqueceu ele (quem dera eu esquecer também).
Não o amo mais, deixei de amar a muito tempo, quando percebi o quanto ele era instável, então vivia a minha vida as escondidas, em volta de uma relação que já não existia a muito tempo.
Então porque estou triste e com raiva por esse término?
Eu não sei!
Talvez seja pela forma traiçoeira que levou ao fim, do infeliz ter colocado toda a culpa nas minhas costas até na hora de acabar comigo, ele nunca teve coragem de assumir os seus erros e nunca vai ter.
Eu sei que essa raiva um dia vai passar, mesmo estando difícil agora, eu sei que o mundo gira, e tudo se concerta.
Eu só quero deixar bem claro que mesmo as pessoas falando de como o perdão faz bem pra quem foi machucado eu NUNCA, JAMAIS, irei perdoar essa cobra traiçoeira, porque foi isso que ele foi, eu NUNCA vou conseguir perdoar, quando eu enfim esquecer, e estiver bem de verdade esse pequeno "ódio" guardado sera apenas um detalhe que irei rir bastante.
Hoje eu não estou bem, mas sempre vai ter outros dias.

-sin sun.