terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Triste e Feliz.


Pior do que sentir essa dor...
É ter a dor da distância...
Mais toda a minha tristeza, se transformaram em sorrisos...
Minhas lágrimas amargas ficaram doces...
E meu amor por você só cresce, a cada dia.
Você me conforta... e vejo nos seus olhos, a imensidão do amor que senti por mim.
Quem diria, que dois completos "indiferentes" estariam assim...
Eu sei que a culpa toda foi minha... isso me deixa pior.
Mais indiferente disso, você sempre esta do meu lado, de certa forma...
E além disso, tem um pedacinho de você dentro de mim, obra do nosso amor que é tão lindo, vivendo, respirando, comendo tudo que como... hehe, me deixando cansadona... mais é o nosso amor, nossa pequena vida, que ja amamos tanto...
Obrigada por isso...
Mesmo sempre chorando, ficando triste, sou a pessoa mais feliz do mundo.
Porque tenho vocês 2 ao meu lado agora...
Amo muito você...
-sin sun.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

NATAL... NATAL... NATAL... enfia o NATAL no CÚ.


Aqui para relatar o pior "natal" que terei.
Sim, hoje é dia 23, mas não sei se postarei nos dias 24 ou 25...
"natal"... uma comemoração inútil criada pelos cristões porcos para celebrar o que afinal?
ODEIO essa época do ano...
ODIAREI meu fim de ano...
Porque será que eu não morro de vez?!

Odeio vocês...

-sin sun.

sábado, 18 de dezembro de 2010

Adeus.


Doce sabor da amargura que ficou em minha boca;
Doce é o som dos passos caminhando lentamente para longe;
Doce solidão que ficou no ar, enquanto eu chorava solitária no canto;
Doce será o meu último suspiro e amargas serão minhas lágrimas de adeus.

- sin sun.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Ilusões.


Paro!
Enquanto a chuva cai forte la fora.
Dentro de casa, ao olhar pela janela eu vejo.
Gotas que caem fortemente e bate no chão batido.
Esta frio.
Chove forte.
E eu sozinha, apenas com o meu medo.
Até quando?
Até quando esperar por socorro?
Até quando esperar por alguém?
Por uma mão amiga?
Até quando?
Meu coração vai batendo lentamente, ele esta tão fraco.
Estou gelada, me considero uma morta viva por isso.
Meus anseios, minha vontade de viver esta zero.
E a de morrer só cresce.
Sim... ainda cresce nesse fim de mundo.
A chuva, a janela, o frio, esta apenas na minha imaginação.
Tudo de bom esta apenas na imaginação.
Sinto falta de lá...
Sinto falta do pouco que eu tinha...
Quero morrer...
Apenas isso.
Não aguento mais, não quero mais...
Viver assim.
Uma vida com sonhos despedaçados não quero levar para frente.
Deixe-me adormecer eternamente.
Deixe-me...

-sin sun.

sábado, 4 de dezembro de 2010

Foguete.


Como um foguete.
2010 passou dessa maneira pra mim.
Vivi muita coisa, aprendi muita coisa, definitivamente um ano de lições boas e ruins.
Esses dias tava pensando, "nossa nem parece que ja faz um ano que tenho esse blog".
Aqui, onde eu escrevo tudo o que eu gosto e que não gosto também.
Ainda estou bobissima pela velocidade que esse ano passou.
E das coisas que aconteceram, infelizmente a maioria ruim, e muito dolorosa.
Mais também não tenho só porque reclamar, esse ano me reservou algo muito importante.
Um amor.
Um amor que eu conhecia, mais ao mesmo tempo desconhecia.
Aconteceu tudo derrepente, no finalzinho do ano ele cruzou de vez meu caminho.
Me mostrou várias vezes que realmente gostava de mim.
Mas porém também passamos muitas necessidades, e sofrimento, mesmo assim
então pouco tempo de namoro.
Estamos com 3 meses de namoro, completando o 4 dia 21 de dezembro.
Ele é a melhor pessoa que conheci.
E além do mais, é o pai do meu filho.
Isso mesmo estou grávida e estou muito feliz, não vou mentir que algum tempo atrás eu batia de pé junto que jamais iria ser mãe, mais o destino se encarregou de mudar meu pensamento.
Ainda não sei se é menino ou menina pois esta bem no comecinho *-*
Mas sentimos que é menino, e se for vai se chamar Mike Antônio *-* , e a menina Lissi *-*
Parece até mentira tudo isso, fiquei com um pouco de medo mais... isso me fez muito bem, to mais sentrada, e realmente feliz.
Ano de loucuras...
Mais agradeço pro melhor estar reservado no final.
Afinal, as coisas melhores só encontramos no final do baú da vida.


-sin sun.

domingo, 21 de novembro de 2010

Esperar... esperar... esperar.


Na fria e triste solidão.

-sin sun.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

-

;

-sin sun.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

To que nem uma boboca *-*


Porque meu amor está comigo <3

APENAS ISSO. *-*


-sin sun.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Ansiedade.


O que fazer quando ela mata a gente a cada dia?
heeey resta apenas 2 dias *-----*

CHEGA LOGO DOMINGO CHEGA >_<

<3

-sin sun.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Perdi... Mais HOJE Encontrei!


Perdi muito tempo da minha vida sendo infeliz, ignorando a felicidade.
Perdi tempo querendo acabar com a felicidade que sentia.

Perdi tempo querendo vingança, querendo destruir com todos que eu odiava, sem perceber que estava destruindo a mim mesma.

Perdi tempo querendo a morte... [Mesmo a querendo muito ainda...].

Perdi tempo odiando.

Perdi tempo estando com a pessoa errada, com pessoas erradas.

Perdi tempo fazendo coisas erradas...

Perdi tempo achando que certas decisões que havia tido era a certa, mais depois vi que eram completamente erradas...
Perdi tempo tendo sonhos falsos.

Perdi tempo com amigos falsos.

Perdi tempo com um amor falso...

Perdi um tempo tão precioso!

HOJE:

Hoje estou correndo atrás do tempo perdido, antes eu dizia que correr atrás do tempo
era realmente "Perda de Tempo".
Hoje vejo que não.

Estava errada!

Hoje sou feliz.
Hoje tenho pessoas que realmente valem a pena.

Hoje sou amada de verdade.

Hoje amo de verdade.

Hoje dou risada de coisas tão bobas...

Hoje tenho algo mais precioso que uma pessoa pode ter...

É... finalmente tenho esse algo!

FELICIDADE!

Hoje eu tive a prova que qualquer pessoa gostaria de ter.

Eu não pedi, mais ja que o destino quis me dar...

Eu agarrarei.

Aqui sairei com você...

Vamos rir, amar, e com certeza brigar...

Mais sei que é com você que quero estar...
Iremos virar a noite na praia, comer peixe de café da manhã... HEHE.
Iremos VIVER.

Ser realmente feliz... pois a gente merece *-*
Aaaah eu amo tanto você *-*
Meu sagui, meu ursinho *-*

Obrigada por todos os momentos que você me fez rir, mesmo naqueles momentos que
eu estava... bem você sabe.
Obrigada por me aturar.

Obrigada por me dar também a oportunidade de fazer você feliz...

Mais acima de tudo obrigada por me amar, e deixar eu te amar...

Você me fez sentir algo que NUNCA senti na vida.

E como combinado, ficaremos juntos até um morrer =D

Porque sabemos que "Pra Sempre" NÃO existe.

Amo você... a cima de tudo que tenho.

Aaaah to muito gay =x

Meu ursinho magrelo que me abraça forte *-*

Somos lindos juntos *-*
<3

-sin sun.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

FELICIDADE!


Esta muito próxima a chegada... *-*

Ah meu amor vai estar ao meu lado <3

Realmente minha ALMA GÊMEA *-*

Minha metade perdida, eu ja encontrei <3

Amo você... Anderson Pires Galdino <3

-sin sun *-*

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Partida...


É simplesmente dolorosa...

NADA A DECLARAR!

-sin sun.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Estou cansada.


Estou cansada de esperar...
Estou cansada de sofrer...
Estou cansada de odiar...
Estou cansada de chorar...
Estou cansada de viver...
Estou cansada de "morrer"...
Estou cansada dos humanos...
Estou cansada da vida...
Estou cansada da minha vida...
Estou cansada de não ter uma vida...
Estou cansada das pessoas ao meu redor...
Estou cansada de mim...
Estou cansada de tudo isso...
Estou cansada de me cortar...
Estou cansada de tomar remédios...
Estou cansada de beber...
Estou cansada de fumar...
Estou cansada das dificuldades...
Estou cansada das enrolações...
Estou cansada das dores...
Estou, estou muito cansada...
Estou cansada do mundo...
Cansada em estar cansada...
Estou apenas cansada...
Cansada de tudo!

-sin sun.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Loucuras do Destino.


O Destino une.

O Destino separa.
E ele aprontou uma comigo *---*
Obrigada Destino <3
Prometo que dessa vez vou fazer valer a pena...
Esse amor não posso perder...
Vou tentar... Não isso está errado...
Eu IREI ser FELIZ!
Seu destino brincalhão *_*
Nosso amor será assim, tão forte quanto o mar...

S + S =

*__*

-sin sun

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Perdida...


Apenas isso!


-sin sun.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Cinco cartas do Tarô -escolhidas ao acaso-


O mago é o portal,

o umbral,
a primeira pedra
de um caminho,
o primeiro passo.

A imperatriz, grávida
e alada.
tem seus pés em cima
da lua,
ela é toda enluarada.

A estrela é carta
de pura luz,
dentro dela o céu
inteiro.

A lua é o mistério,
a noite escura
da alma,
o avesso.

O louco é a chegada
ou a partida,
o porto flutuante,
impalpável,
a estrada armada
em cima do vento.

- Roseana Murray. [Caminhos da Magia]

sábado, 17 de julho de 2010

Eu quero partir.


Eu quero partir de tudo.

Partir desse maldito passado.
Partir desse maldito presente.
Partir dessa maldita casa.
Partir dessa maldita cidade.
Partir dessas malditas pessoas.
Eu quero partir.
Pra poder esquecer tudo.
Esquecer minhas dores.
Esquecer meus sentimentos.
Esquecer essa perda.
Esquecer os meus sonhos impossíveis.
Esquecer tudo.
Simplesmente esquecer.
Quero partir pra poder tentar pela última vez.
Sorrir novamente...
Sinceramente...
Sem medo de ser feliz.
Quero partir pra ver se posso ser capaz.
De sonhar de novo.
Sorrir de novo.
Amar de novo.
Viver de novo...
Já não tenho mais nada a fazer aqui.
Eu já enlouqueci.
Preciso disso.
E farei isso.
Até chegar no lugar desejado...
Lugar que desconheço.
Mais é la onde quero ir.
Pelo menos nesse momento...
Eu irei partir.
Pra longe de tudo que vivi aqui.
Esquecerei tudo...
Matarei tudo...
Eu apenas quero partir...
E assim farei.
E nesse dia.
Será o dia de minha alegria.
Irei embora.
Sem olhar pra trás.
Pela última vez...
Eu juro que tentarei.
Irei partir...

-sin sun.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Mais uma página de Diário.


Como sempre, faz tempo que não escrevo da minha vida diretamente.

É sempre em poemas... prosas... até mesmo músicas que definem bem o meu estado mental. Mais hoje, irei usar esse blog como realmente uma página de diário (mais uma vez).
Faz tempo que nem no meu próprio diário escevo, é mais em papeis de agenda, rascunhos... To sem tempo pra isso, muitas vezes pode ser preguiça, cansaço... Enfim.
Fiz muita coisa nessa vida, posso dizer que vivo mesmo desdos meus 12 anos... uma idade que eu posso dizer: "Comecei a entender a vida com 12 anos." Ainda era uma criança... mais ao mesmo tempo adulta.
12, 13... 14... 15... 16... 17... 18... e agora 19.
7 anos que vivo realmente essa vida louca, 7 anos que sei realmente o que realidade de sonhos, 7 anos que seu sei o que é sofrer, e 7 anos... que eu ja tenho essa vontade de morrer.
Desdos 13, comecei a levar essa vida que tenho hoje, se a vida realmente fosse contada como nós as disgraçamos, ja não tenho muito tempo de vida, acho que em volta de uns 10 anos, é tempo suficiente para um câncer no pulmão pelo cigarro, e ter cirrose em razão do álcool. Não irei muito longe.
Tanto que ja fiz... vivi... Hoje posso dizer com todas as letras EU AMADURECI.
Tanto como mulher, tanto como pessoa.
Hoje posso ter certeza que conseguirei lidar com qualquer desavença que a vida me proporcionar. Também muito que aconteceu comigo até hoje me fez ver, que realmente os erros servem para não errarmos mais, e não apenas para nos fazer sofrer, e querer a morte. Isso é apenas mais uma conseqüência.
Umas das coisas que me fizerem amadurecer muito e ter uma nova concepção sobre a morte, foi o suicídio de um grande amigo meu. Amigo de saídas, amigo de conversa, amigo de dores, amigo de risos, amigo pra todas as horas. Tuka... Antonio, um amigo que levarei pra sempre em meu coração. Em relação a sua morte, de uma maneira tão trágica, um homem com alma de garoto, um homem com sonhos puros, o único que ele queria. Ser feliz. Eu que sempre fui tão depressiva também, como a maioria de nossos amigos, foram poucos... mas que também sempre procuraram a morte, ficamos abalados, sei que todos do ciclo de amigos, aprenderem muito com ele, Tuka se foi, mais deixou um aprendizado, uma semente em todos nós, uma semente bem plantada, bem no fundo do nosso coração. No meu Sun, no Bruno, na Val, na Nanda, no Jumpy, até no do Felipe. Uma semente que regarei e tratarei com o melhor carinho. Tuka nunca esquecerei de você.
Isso apenas me mostrou, que a morte não leva a nada... fui tola ao pensar isso uma vez, e ao tentar acabar varias veezes com minha vida, fui tola...!
Um grande aprendizado...
O outro... (não quero tocar muito no assunto) Mais... depois que tentei voltar ao passado, e esse passado feriu meu orgulho, posso dizer também com todas as letras. EU NÃO SENTI NADA, DIGO SENTIMENTO DE SOFRIMENTO, PERDA DE AMOR... E SIM DE... ORGULHO E EGO FERIDO. O QUE EU QUERIA MESMO NÃO ERA O PASSADO DE VOLTA, E SIM TENTAR VENCER MAIS UMA VEZ, COM MEU ORGULHO. Mas que bom que as coisas levaram a esse rumo, uma coisa que aprendi com isso foi: "NUNCA devemos tentar voltar ao passado, ele ja morreu a partir do momento que vira passado. E também não podemos viver em apenas razão do nosso orgulho, ele o próprio que pode nos magoar muitas e muitas vezes.
Uma coisa engraçada também, estou com 19 anos... e quarta-feira foi a primeira vez que fui ao médico sozinha... foi estranho, sempre fui com minha mãe, ou com meu ex-namorado... foi realmente esquisito. Não ter ninguém pra abraçar na hora da injeção... rs, estranho, mas tenho que me acostumar com isso, afinal de contas minha mãe vai embora pra Fortaleza semana que vem. Restará apenas eu e a Sandra, minha irmã mais velha, a Simone e minha sobrinha Gyovanna, ja tem outra familia, a igreja e um estranho que ela nem mesmo conhece direito. A Sandra namora a 6 anos, quase casada... quando ela enfim resolver tomar a vida dela, restará apenas eu, sozinha... em uma casa... úmida... apenas eu, e as sombras que sempre andaram comigo, apenas eu e minha tristeza, que também nunca me abandonou, apena eu... eu!
Com 19 anos... fiz coisas que com 18, eu falava NUNCA farei... mas fiz... é engraçado de mais pensar nisso sabe, coisa que eu não faria a 1 ano atrás fiz agora... e repito! Pois eu já não tenho mais NADA a perder.
Tudo que um dia foi meu por direito, a vida arrancou de mim.
Mas isso também me serviu como lição para amadurecer.
A vida também de certa forma é engraçada, ela coloca as pessoas certas nos momentos certos dela, disso não tenho do que reclamar, é até bom.
Escrever no blog hoje como um diário... eu tava pensando tanto nisso que no ônibus a caminho de casa do trabalho não parava de pensar nas coisas que iria escrever.
A sim... estou trabalhando, sou babá. Cuido de um bebê de 6 meses. Cuido dele desdos 1 mês de vida praticamente, gosto muito do que faço, e também preciso desse emprego, mais do que nunca. Ele é mestiçinho, se chama kaique e é muito fofo.
Voltando... a caminho de casa, ao pensar no que escrever aqui, comecei a sorrir sozinha, sentada em um banco do ônibus em frente a porta de saída, com tantos lugares uma senhora se senta ao meu lado, odeio quando isso acontece, eu toda de preto, com touca na cabeça, geralmente essas pessoas tem medo de gente como eu, e é por isso mais ainda minha revolta. Enfim... passando em frente ao atacadão, comecei a sorrir, o ônibus passando rápido de mais, mas pude ver claramente, 3 rapazes, todos de preto, mas teve um que me chamou a atenção... ele estava de preto, com boné preto também, segurando uma garrafa de cerveja, não deu pra notar o nome... mas ele, mesmo com o ônibus em total movimento, ele olhou pra mim, mas não apenas para mim, olhou nos meus olhos, no fundo deles, os olhos dele eram verdes, o verde mais lindo que ja vi... E no meio da correria do ônibus, da conversa com os amigos, ele olhou nos meus olhos e eu os senti também, no fundo de minha alma. Esse menino na hora conseguiu arrancar como uma faca arranca um pedaço de pão, o sorriso que eu levava nos lábios... e me fez abaixar o olhar, ao lembrar com quem ele se parecia... Tuka! Pode parecer loucura? Não sei, mas logo em seguida disso me veio o Tuka na mente... Estranho... um rapaz, na esquina, atravessando a rua, de preto, mais 2 amigos, ele segurando uma garrafa de cerveja... com olhos verdes, eu dentro de um ônibus que mas parecia um foguete, conseguiu olhar no fundo de minha alma, e arrancar o sorriso que eu levava... Aqueles olhos nunca esquecerei.
Não sei ao certo o porque disso tudo, posso afirmar com todas as letras que eu amadureci. Mais também posso afirmar com todas as letras, que ainda... Não entendo a vida.
E mesmo que eu viva 10 anos, 5, 4... 1 semana!
Não descansarei até entender essa vida, e fazer alguém feliz, como eu disse pra essa pessoa, como eu ja a escolhi. Eu tentarei fazer esse alguém feliz.
Morrerei feliz, ao saber que fiz alguém feliz, e que finalmente entendi a vida, a minha vida.
Que pretendo não desperdiçar mais com tanta bobagem, como fazia antigamente.
Vida... Vida louca.
Que um dia saberei usá-la.

-sin sun.

sábado, 26 de junho de 2010

sun.




O Passado.
Me fere com lâminas afiadas, me assombra de uma tal forma... Um castigo merecido, o meu passado sombrio.
O Frio.
Me gela a pele, me gela a alma. Ele é como o passado, só me leva pro nada.
A dor.
Não consigo não sentir, chega sem eu ver, sem perceber... Me engana, e não me deixa crescer.
O Amor.
Sentimento mútuo, creio que nunca senti de verdade... Mais sei que ja me foi roubado, várias e várias vezes ja me vem enganado, nada ao certo nunca senti, nada ao certo nunca vivi.
A Amizade.
Não tenho muitos amigos, é não tenho amigos.
O Sofrimento.
É algo que sinto por dentro, da mesma forma da dor, me causa desgosto, me deixa sem nenhum valor.
A Noite.
Sempre soube me acolher, sempre soube me entender.
O Cemitério.
Não teve uma noite pela qual eu não quis estar a sete palmos da minha realidade.
A Vida.
Só me da rasteira, pelo menos é passageira, vivo com um sorriso amargo, de ter que acordar mais um dia.
A Morte.
O fim... sim é engraçado, hoje a morte é o fim pra mim.
Não trás felicidade...
Não trás a verdade...
Não trás o sorriso...
Mas porém.
A morte ainda é meu alívio.

-sin sun.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Vá Embora.


Eu troquei minha inocência por orgulho
Esmaguei o final com meu passo largo
Disse que eu sou forte, agora eu sei que eu sou uma fugitiva
Eu amo o som de você indo embora
O rímel sangra uma lágrima escurecida
Oh, e eu sou fria, sim, eu sou fria. Mas não tão fria quanto você
Eu amo o som de você indo embora.

Porque você não vai embora?
Nenhuma construção irá desabar
Você não vai embora?
Nenhum terremoto irá partir o solo
Você não vai embora?
O Sol não vai engolir o céu
Você não vai embora?
Estátuas não irão chorar
Você não vai embora?
Porque você não vai embora?

Eu não posso me virar para ver aqueles olhos
Assim como desculpas podem se erguer
Eu tenho que ser forte e continuar uma desacreditada
E amar o som de você indo embora
O rímel sangra em meus olhos
Oh, e eu não sou fria, eu sou velha. Pelo menos tão velha quanto você

E enquanto você vai embora
Oh, enquanto você vai embora
Minha lápide se desmorona
Enquanto você vai embora
Os ventos de Hollywood irão uivar
Enquanto você vai embora
O Kremlim está caindo
Enquanto você vai embora
Rádio 4 está estática
Enquanto você vai embora
Oh, enquanto você vai embora

A punhalada dos estiletes
Em uma noite silenciosa
Stalin sorri,
Hitler gargalha
Churchill dá tapinhas
nas costas de
Mao Tse-Tung...

-sin sun.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Angústia.


Fui uma idiota ao pensar que poderia voltar ao passado.

Quando se é passado, é passado, morreu, não volta mais.
Mas eu tentei... juro que tentei.
Eu não estava mais lá, mas meu coração, minha alma, ainda estavam ligadas ao passado.
Hoje, elas morreram... Finalmente eu posso dizer " EU TENTEI, EU TENTEI FAZER ALGO."
Eu tentei... se não deu certo, era porque não era mesmo.
Tenho que me conformar, o que passou, não volta NUNCA MAIS.
Pelo menos agora, posso descansar em paz.
Por ter tentado, e não ter sido fraca.
Obrigada, por ter me dado forças pra isso.
E desculpe se não consegui.
Mesmo sendo dificil...
Feliz.
Sei que nunca serei.
Pois a felicidade não está mais aqui comigo.
Está em outro lugar.
Partirei com esse sentimento no meu coração.
Sentimento que fui forte o suficiente para encarar a mim mesmo.
E deixar de ser orgulhosa.
Mas eu não consegui...
Fui uma boba.
Uma tola...
Mais não serei mais.
Pois ja sei qual é o meu lugar.

-sin sun.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

E quando Chega o Fim?


E quando Chega o Fim?

Quando chega o fim de uma vida?
Eu não sei...
Quando chega o Fim de um amor?
Eu não sei...
Quando chega o Fim de uma amizade?
Eu sei...
Não soube o que pensar, o que fazer, o que dizer.
Te conheci, nos piores momentos da minha vida!
E vivi os melhores momentos dela, com você Tuka.
Rimos... bebemos... fumamos... curtimos o melhor do rock, no melhor dos lugares... passamos frio na rua... nos atrasamos no metrô... combinamos em sair... queriamos ir pro Rio de Janeiro...
Mas você não me esperou...
Você não me avisou...
Nem me procurou!
Sei o que você sentia!
Eu senti também!
Sei como você queria a morte!
Eu sempre a quis também!
Sei que enfim, agora você esta bem... esta feliz...
Não está?
Eu espero que sim... você tem que estar feliz Tuka, tem que estar...
Amigo... companheiro...
Você fez a diferença na minha vida.
Iriamos ver juntos os trilhos...
Mas você foi primeiro...
Iriamos sonhar e sorrir para sempre.
Mas você foi primeiro...
Sonhe... e sorria.
Que ficarei aqui.
Até eu também não suportar mais...
Mas sei, que logo estaremos sonhando e sorrindo juntos.
Como nós combinamos.

Tuka... Você estara para sempre nas minhas melhores lembranças, e nos meus sonhos mais doces.
"Guardem minha alma, pois ela está prestes a voar para longe." < Suas últimas Palavras...
-sin sun.

domingo, 6 de junho de 2010

Sol Azul Turquesa _ Cyanide Sun.


Nós deveríamos saber como isso é difícil para parar de nos distanciarmos
Almas separadas foram entrelaçadas com todas essas mentiras confusas

Eu estou morto para você, uma sombra foi perdida
Meu amor, para sempre na escuridão
E de todas essa mentiras a mais verdadeira é você
Muito perto do meu coração

Desse vazio eu fiz meu lar
Abraçando memórias de sonhos que se já se foram
Um último cuidado do cadáver do amor é tudo o que eu quero
Por debaixo deste sol azul turquesa

Nós viajamos os oceanos de desgraça em uma balsa construída com nossas lágrimas
Procurando por um meio de desaparecer por um momento dos nossos mais profundos medos

Eu afogarei você nesse rio obscuro
Para sempre em meu coração.

By: HIM

sábado, 29 de maio de 2010

Omnos.


Enquanto as sombras do passado batem de vez em quando em minha porta.

O presente me engana e o futuro ri de mim.
Passado doloroso, cheio de sangue, gritos, lamentações, fingimento e arrependimento.
Presente palhaço, que gosta de me enganar, e me faz mudar a cada instante, a minha forma de pensar.
Futuro incerto, pelo qual tenho medo de sonhar, voar alto e cair, e mais uma vez me machucar.
Enquanto as feridas ainda não cicatrizaram, fico a pensar quando isso ira acontecer.
Tudo muda, as pessoas ao meu redor mudaram... Menos eu!
Eu continuo a mesma!
Mudança é uma palavra que realmente eu desconheço.
Ainda acho que a morte é a unica saída.
A melhor saída!
A solidão mais uma vez inunda meu coração.
O que restou dele pelo menos...
Minha alma a tempos que não consigo senti-lá.
Sumiu ao vento, da floresta fria do outono.
Todos os meus dias são nublados, nem um raio de sol chega a aquecer minha pele.
Minhas noites são longas, não passa quando estou acordada, mas ao dormir... os pesadelos consomem o resto.
Vou deixar a minha tristeza cavalgar sobre as aves do céu e voar.
Mas sei que no fim, ela voltará pra mim.
Mais uma vez a eternidade encerra meu coração remendado.
Afastada de tudo e de todos eu chorei...
Mais não saiu pra fora minha tristeza, a dor só pareceu crescer.
Sei que esta próximo...
O dia...
Ou a noite...
Mas sei que esta próximo.
O momento que darei minha última respiração.

-sin sun.





segunda-feira, 24 de maio de 2010

I ONLY WANT TO FLY.


Eu não conheço a verdade, não conheço a mentira... Não conheço nada. Em que acreditar? Em quem acreditar? Se o mundo todo parece ser feito de robôs, completamente iguais. E esses robôs parece que tem o prazer de viver enganando e se enganando. Nesse mundo sujo não quero mais viver.

-sin sun.

domingo, 16 de maio de 2010

Céu Vermelho.


Distraída eu estava.

Apenas repensando e revivendo momentos em flash em minha cabeça.
Ao olhar para o céu.
Me deparo com a mais linda tarde.
Céu vermelho, pensativo, sangrento, um certo duvidoso.
Descarregou em mim um sentimento que não sei explicar, não saberei expor...
Ao olhar a cor rubra e forte desse céu de domingo, pude entender algumas coisas.
Porém ainda não sei conviver com alguma delas.
Aquela vermelhidão ficara marcada para sempre no meu coração.
Realmente tocou-me...
Era como se aquele céu e eu fôssemos apenas um...
Tão parecidos, desesperados por respostas e certezas!
Ele completou o quebra-cabeça da minha vida.
Essa tarde de domingo me disse tudo...
A dor desse céu vermelho levarei para sempre.

-sin sun.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Estupidez.


Novamente estou aqui.

Hoje estou mas vázia do que de costume...
Estou tão cansada... da vida!
Apenas em pensar nela me machuca, não sei porque ainda estou aqui.
E mas uma vez não sei o que escrever.
Ja estamos em maio...
Esse mês... MAIO!
Não sei porque mas odeio ele!
Minha mente dói só de pensar em algo vago para escrever aqui, mas eu não sei nada...
To com frio... sono.
CANSADA!
Disso tudo.
CHEGA...
Não sei mas o que escrever...
prefiro morrer ao ficar aqui!!!

-sin sun.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Always, always and Forever.


Porque tem coisas que eu sei que será pra sempre.

...

-sin sun.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Mundo de Máquinas.


Perdida estou em um mundo louco.
Mundo de máquinas...

Tudo é igual.

Meus pensamentos, minha vida, sentimentos...
Tudo é igual.

Estou com horror disso!
Medo!

Nojo!
NÃO aguento mas!

ODEIO isso, odeio as pessoas, odeio o cinismo delas, mentiras, falsidades...
ODEIO!

Quero fugir.

Correr...

Mas quantas vezes eu ja escrevi isso?

Ja sei que foram tantas...

E porque continuo escrevendo?

Por que nada mudou!

Tudo apenas se repete.

Só espero que não se repita o sofrimento...

Mas geralmente eles sempre se renovam em dobro...
Me arrependo...

Me lamento...

Me detesto...

Faço coisas sem pensar...

Mas em compensação acontecem outras que me fazem fazer com razão.

Vida...

Porque ainda tenho uma?

Nada que tenho nela é realmente verdadeiro...

Como dói...

Ser assim!
Sou uma garota movida pelo ódio.

Movida roboticamente
por um propósito.
Por uma razão, louca...

MORTE!
Eu GRITO!

Você pode me escutar?

Mas uma vez converso com o espelho...

E nada me responde.

E vejo...

Um mundo de máquinas...

Pelo qual eu faço parte.

E eu odeio ele!


-sin sun.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Jazigo.


Tanta dor cravada a sete palmos dentro de mim.
Meu coração é um jazigo de sofrimentos.
Meu sentimento ergue-se como uma lápide diante da vergonha.
Minhas lágrimas é nada mas como uma chuva, que cai sem sesar nas noites de inverno.
Meu sangue arde, e as feridas também.
Feridas tão profundas, arrependimentos mútuos...
Como eu me detesto.
Noites e noites acordada, não durmo, não sonho, tenho pesadelos de olhos abertos...
Muitas sombras ao meu redor, em um canto sozinha, passando frio... medo.
Deixo a chuva me molhar, as gotas frias caem sobre meu rosto e eu sorrio.
A seção morta ja começou.
Deito-me, na terra molhada, abatida, e acabada, tem muita lama ao meu redor, muitos cadáveres também.
Sorrio.
Enquanto canto uma canção, que chega sem eu perceber...
Sozinha, Com frio, Molhada, Com medo.
Eu não existo mas nesse mundo.
Eu morri a muito tempo.
Quando eu acreditei nos humanos.
Agora só resta a mim.
Eu e mas ninguém, deitada na chuva, com frio, chorando, sangrando, me lamentando por ser assim.
Hoje morrerei aqui.

-sin sun.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Gostaria que fosse real.


noite fria, chuvosa...
meus pensamentos correm novamente contra o tempo.

sem saída, minha alma chora.

sem coforto meu coração sangra...

se desfaz.


mil e um pedaços de dor

arrancados aos poucos de dentro de mim

jogados para fora como um lixo...

sentimentos tratados como um lixo.

se acabam.

lamentações sem perdão
não sei porque ainda tento...

fazer algo de bom.

eu ja devia ter me acostumado...
a ter a vida jogada ao acaso.

hipocrisia! é isso que ela se resume.

mentira! é disso que ela é feita.
tristeza! é isso que tenho no final.

arrependimento! é assim que vivo todo dia.

morte! é a coisa que necessito.


dias de glórias são forjados...

arquitetado apenas para me enganar.

mas eu não sei...

eu finjo não saber.

eu gostaria de acreditar neles...


ao menos uma vez foi verdade?

ao menos uma vez vivi de verdade?
ao menos uma vez fui... feliz?

...

ao menos uma vez... poderia ter sido real!

-sin sun.

sábado, 3 de abril de 2010

ㅤㅤ


ㅤㅤ

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Loucuras de uma mente demente.


A vida é engraçada.
Hoje bateu vontade de escrever sobre o lado "bom" da vida.
Se é que existe...
Mas enfim, deixe eu tentar.
Hoje é dia 03/04/2010, Sábado, são exatamente 02:18 da madrugada.
Que legal.
E sabe, to hiper cansada e não to dormindo ainda, pra que durmi =)
E meu... desses tempo pra ca não sei o que ta havendo, como sempre né...
Mas desses últimos dias...
Ta tudo MUITO "estranho"
E isso é legal.
Porque é a primeira vez que não penso em suicidio...
Depois de tanto tempo só com isso maquinando em minha mente.
Será que essa nova sensação é uma coisa boa?
Sei não viu...
Mas é legal sabe, de certa forma... divertido!
Da vontade de fazer várias coisas.
Sensação que eu não sentia FAZ TEMPO!
Sem contar de uma intuição fudida pra certas coisas...
Sempre tive isso, mas hoje em dia ta mas aguçado.
Boa parte foi graças ao Bam =)
Cara, creio que é a primeira vez que uso esse blog como um "diário" mesmo.
Que escrevo coisas que realmente acontecem comigo.
E não poemas, contos, músicas, etc... Para eu falar indiretamente.
E até legal isso...
Acho que vo fazer mais vezes isso...
Meu que briza agora...
To uvindo Pato Fu... "Antes que seja tarde"
Véééiii... muito ANTIGO.
E nem combina comigo. tsc
Mas e dai?
Me deu vontade de ouvir, e to ouvindo.
Com tanta coisa ruim que aconteceu na minha vida esses últimos tempos²³²¹
Algo divertido ta acontecendo.
Espero que dure ^^
Se não durar...
Aiaiai... e dai, ja to acostumada a só perder as coisas mesmo >D
Teve um dia que perdi meu tênis na Led...
-FATO-
Achei depois no banheiro =3
Foi muito irônico, porque eu nem tinha ido pra la ainda...
Enfim...
Chega de babozera?
Sim =3
Ah.
E nada mas do que justo eu também colocar uma foto minha no post né ¦D
Meu que mierda =DD
Hoje me deu a loca.
E escrevi só babaquise =)

q

Meu dedo dói );


e dai?


ta parei...

-morri.

;

-sin sun. =DD

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Báu...


Presa entre quato paredes.
Quatro paredes mortas, frias, sombrias, devastadoras.

Corro, grito, canso!
Mas não alcanço!
O enlace do fio.

Fio condutor, fio de pavor, desesperada estou, sem um amor.
Vázio, elástico, corrosivo, estrago, amargo, explosivo.
Mentiras ardentes e repliscentes, amargura de um coração ferido.

Égo tão grande e imprudente, vida notória displiscente, alma gélida e ardente, dentro ou fora é diferente...

Presa nela aqui estou.

Presa nela sempre estarei.

Sangue sem vida corre em minhas veias.
Respiro profundo acochegante, mar de dores e sereias passantes.
Choram no fundo daquele báu.
Báu de cada um de nós.
Preso entre quatro paredes!

Paredes que são apenas báu.

Báu que nós vivemos e báu que morreremos.


-sin sun.

terça-feira, 30 de março de 2010

Precipício. [Parte 07 -FINAL-]


Ao sair da pousada, com uma pequena lanterna, fui até o fim da rua principal. A rua larga e cheia de neblina, estava completamente vázia. A única coisa que se podia ouvir era o vento a berrar em meus ouvidos. Com passos lentos, e sentindo cada parte do meu corpo se estremecer, fui caminhando até o bosque.
Uma coisa estava estranha! Parei. Olhei. Paralisei. O bosque... não tinha mas grades. Estava aberto, sem nenhum bloqueio, poderia isso? Como? Mas sim poderia... Eu estava ali, olhando, fixamente para as árvores altas e verdejantes. Em um ato de censatez olhei para tráz, para procurar vertigios de como aquilo poderia ter acontecido. Mas ao olhar. A cidade. Não estava mais lá. Foi ai, que enlouqueci de vez... Onde eu fui parar? Que cidade era aquela? Que floresta era aquela? Onde eu estou? Perguntas. Sem respostas.
Um pouco assustada, então me pus a andar. Comecei a explorar e tentar entender o que teria acontecido com tudo, e todos. E era como meu pesadelo, as árvores eram tão grandes que não podia se ver a lua cheia que ali estava, não podia se ver nada. Liguei a lanterna, para tentar iluminar pelo menos meus passos.
Com uma luz meio fraca, minha respiração ofegante, e eu pisando em galhos secos, estava suando frio. Quando sinto algo. Atráz de mim. No começo não queria acreditar naquilo, era muito irônico até mesmo para mim. Cada passo que eu dava, aquilo se aproximava, e sem mas o que fazer corri. Corri mas uma vez. Em uma floresta que não conheço. Corri querendo encontrar saída, mas qual? Não hávia nada. Não conseguia olhar para tráz, aquilo me deixou com... medo.
Em uma completa escuridão, não via nada, a lanterna nem comigo mas estava. Como isso se tornou real? Como a cidade desapareceu? Mas dentro de mim, la no fundo, eu sábia a resposta. Uma vez na vida. Eu sábia ela. Agoniada, comecei a gritar. Inútil. Não tinha como um ser se quer me ouvir. Além daquele que ali estava atráz de mim. Estava tão cansada, com tanto medo, galhos me arranhavam, teias de aranhas ficavam presas em meu rosto. E uma lágrima rolou.
Mas na frente, eu vi. Eu vi uma pequena luz. Mas da onde estaria vindo? Seria alguém? Sem mas perguntas corri em direção a ela. Uma luz tão forte, até chegava a arder em meus olhos. Quando me aproximo, me deparo. É REAL! Era o Precipício! Com aquele fundo belo com águas cristalinas. Não pude me conter... Corri para poder, fugir dali.
Pulei. Para enfim voar, e me libertar do que me perseguia. Arrisquei uma olhada para tráz, pois sentia os passos cada vez mas perto. Ao olhar eu me assusto. Pois não hávia ninguém. Não hávia nada a me perseguir. O que seria então? Muito confusa, me agarrei em um galho de árvore preso nas grandes paredes altas do precipício, tentei voltar, não hávia para que voar dali... Mas ao olhar para baixo, e ver, aquela água cristalina, banhada por cristai de gelo, não pude resistir. Eu voei. Dai eu pude entender o que me perseguia. O que era aquilo. A cidade. A pousada. O pesadelo. A floresta. O precipício. A pintura. E o nada que me seguia. Entendi o que era, e pela primeira vez na minha vida respondi uma pergunta. Era eu. Era simplesmente eu que me perseguia. O meu medo de nunca ser feliz. Meu medo de errar mas uma vez. Meu medo de não amar e ser amada. Meu medo de ser tão inútil e insegura.
Agora tudo fázia sentido. Tudo se ligava a apenas uma coisa. Minha verdadeia felicidade. Era ali, nas águas cristalinas, de uma cidade esquecida, e uma floresta abandonada. Hoje resolvi relatar essa minha história, mas não me pergunte como, não me pergunte o porque, mas terminarei dizendo minhas últimas palavras antes de encontrar com minha felicidade.
- Tanto que chorei, tanto que sofri. Hoje. Esta noite, estou aqui. Pronta para ser eu mesma, ser feliz. Irei voar para ela, agarrar como se fosse uma explosão. Irei viver para sempre nas águas cristalinas, dos meus sonhos mais sonhados. Hoje. Serei Feliz de Verdade.

-sin sun.

domingo, 28 de março de 2010

Precipício. [Parte 06]


Sentada, com os olhos fixos naquela pintura misteriosa, me veio uma curiosidade, tão grande, tão excitante sobre aquela floresta. Então eu enfim me decidi, a noite eu iria visita-la! Com a agonia e a ansiedade me corroendo por dentro, não conseguia mas pensar em nada. Fiquei ali parada, quieta, até dar a hora de sair, e conhecer a minha mas nova amiga.
O tempo... passava muito lentamente. ainda era 19:00. E o bosque havia fechado a apenas uma hora. Eu ainda não poderia ir la. Não agora. Enquanto o tempo não passava, tirei um pequeno cochilo. Mas não sonhei nada. Não consegui sonhar . Ao acordar, me arrumei e desci para jantar, e como de manhã, a pousada inteira cheirava um aroma muito apetitoso.
Ao sentar-me, aproveitei e pedi desculpas a Senh. Ester, por a tarde eu ter chegado e nem ter lhe respondido, ela entendeu e ficou tudo bem. Jantamos e conversamos, tivemos um bom papo, com risadas e tudo mais, coisa que eu não fazia a muito tempo, eu nem lembrava que ainda sábia sorrir.
Depois disso, ai sim o tempo resolveu passar. Quando me deparei, ja era 23:10. Me despedi do pessoal e fui me aprontar, pois essa grande noite, eu iria conhecer minha nova amiga!


-sin sun.

quarta-feira, 24 de março de 2010

Precipício. [Parte 05]


Sai dali mas perturbada ainda. Fui correndo para a pousada, a Senh. Ester me disse "oi", mas nem respondi, com o estado em que eu estava nada poderia me distrair. Fui direto para o meu quarto, la me pus a pensar. Porque isso estaria acontecendo? Logo ali onde havia me refugiado de tudo e de todos? Me refugiado de uma vida que eu não desejava mais? Essas malditas sensações novamente.
Mas como sempre nada poderia responder as minhas tolas perguntas, como sempre nada nem ninguém poderia me entender. Quando menos imaginei, estava coberta de lágrimas, lágrimas pelas quais, eu mesma jurei nunca mas derramar, mas naquela situação eu não conseguia me conter, era mas forte que eu, bem mas forte do que meu juramento.
No relógio marcava as 16:00. Ainda era 16:00... Fiquei ali então a pintar. Pintei paisagens, pessoas, animais, tudo o que eu nunca terei. Pintei felicidade, amor, amizade, tudo o que eu nunca terei. Pintei tudo o que eu desejava, mas tudo o que eu nunca terei.
Mas em todas as minhas pinturas, sempre havia algo de mim, sempre havia algo que me fazia lembrar tudo o que realmente sou, tudo o que eu tenho, álias... Nada do que eu tenho. Todas as pinturas tinha uma tristeza sem fim, uma obscuridade sem fim, um ar noturno sem fim, um sentimento ruim... Sem fim!


-sin sun.